52 - ALEX AFONSO

É um regresso a Portugal, mas será que alguém se lembra ainda dele? Pois é, estávamos em 2002/03 quando, este avançado brasileiro vindo da Portuguesa, chega para jogar no Portimonense da 2ª Liga. Um ano passado e, desta feita pelo Alverca, Alex Afonso estreia-se na nossa 1ª divisão nacional. Conseguidas ou não, não me lembro, as suas prestações levaram-no de regresso ao Brasil, mas, desta volta, para representar um "grande", o Palmeiras. Aqui, dos quatro anos em que esteve associado ao clube paulista, poucos dias lá passou, tendo sido, sucessivamente, emprestado a outros clubes. No entanto, em 2008, surge-lhe nova oportunidade, e no Miami FC, da Major Soccer League, faz a sua melhor época enquanto profissional, conseguindo atingir os 15 golos. Pelos vistos não terá convencido... e assim, após mais duas temporadas no Brasil, chega ao Estoril um jogador que, apesar de não ter tido um percurso extraordinário, servirá, numa equipa que se quedou pela segunda metade da tabela da 2ª Liga, um papel preponderante.

51 - DIGÃO

Terá sido por sugestão e mediação de Dill, antigo avançado da casa, que ao Penafiel chegou este brasileiro. Levado em 2004, do São Paulo pelo Milan, no qual jogou somente um jogo na Serie A (07/08), Digão, tem desde então andado, maior parte do tempo, de empréstimo em empréstimo, por clubes italianos de menor montra. Excepção feita à época 08/09, na qual representou o Standard Liège. Dele gostaria de vos contar que as suas passagens pelos ditos emblemas foram acompanhadas de belas exibições, mas, tirando os dois anos no Rimini quase não jogou. Assim, parece-me normal que deste jogador não conheça as suas capacidades como central. Mas uma coisa é certa, de uma imagem diferente já não se livra. Ora atentemos à sua declaração: «Não, não sou do Penafiel desde pequenino. Nunca tinha ouvido falar do Penafiel e não conhecia a II Liga de Portugal». Mas terá sido por este discurso, de oposição as frases feitas do futebol, que fez de Digão uma das contratações mais badaladas da nossa 2ª Liga? Claro que não! É que este senhor é, apenas e só, o irmão mais novo do "galáctico" Kaka!

50 - ROBERTO

Vi outro dia, numa t-shirt, a seguinte inscrição: "Frangos à Roberto, caros mas bons"! Foi realmente esta a primeira imagem que, o 13º mais caro guarda-redes de sempre na história do futebol, deixou aos adeptos benfiquistas. Nunca tinha visto 6 milhões de pessoas em pânico... é que Roberto conseguiu brindar-nos com momentos de verdadeiro surrealismo futebolístico! Mas, como tudo na vida, o futebol tem muito de irónico... e a verdadeira besta passou a herói quando, após ter sido, finalmente, relegado ao banco de suplentes, foi obrigado a entrar e, espante-se, defendeu o penalty que o seu colega de baliza, entretanto expulso, cometeu! De um momento para o outro tudo se justificou: por um lado, a sucesso que Roberto tinha atingido, no ano transacto, ao serviço do Zaragoza era uma verdade incontestável; e, por outro, os 8,5 € que o Benfica tinha pago ao At. Madrid, tinham sido um excelente investimento... o que se há-de fazer?!!

49 - HILDEBRAND

Chegou ao Sporting para fazer frente a Rui Patrício... parecia, à partida, ter a tarefa facilitada, mas a evolução que o actual titular da baliza leonina tem mostrado, parece, pelo menos a Paulo Sérgio, ser suficiente para que este internacional alemão não tenha tido, à data, nenhuma oportunidade de mostrar as habilidades que fazem dele um dos nomes mais admirado no VfB Stuttgart. Foi neste clube alemão que aos 15 anos chegou. Por lá ficou até 2007, quando, ao fim de 8 épocas e um campeonato alemão (06/07), despertou o interesse do Valência. Em Espanha começou por ser bastante utilizado, mas, na seu 2º ano, depois da partida Ronald Koeman, e sob a orientação de Unai Emerya, após uma, especulada, recusa de se sentar no banco, a Hildebrand ficou assignada a tarefa de não participar num único jogo. A meio da dita temporada voltou à Alemanha, desta feita para o Hoffenheim. Na selecção, apesar de ter sido uma terceira escolha, foi escolhido para Euro 2004, Taça das Confederações de 2005 e Mundial 2006.

48 - HUGO LEAL

É o jogador mais novo de sempre a participar num jogo oficial pelo SL Benfica. Tinha somente 16 anos quando, a 20 de Abril de 1997, contra o SP Espinho, envergou pela primeira vez a camisola das águias. Começava, assim uma promissora carreira que, nem dois anos passados, atingia outro grande marco: Hugo Leal era convocado, pela primeira vez à selecção nacional A. Mas de auspiciosa a sua vida futebolística, teve só o inicio, e o que se seguiu a estes passos iniciais, foram uma serie de opções que acabaram por resultar numa carreira que, eufemisticamente, podemos adjectivar como desapontante. No final da época 98/99, numa meio de uma grande controvérsia, como só as do tempo de vale e Azevedo conseguiam ser, Hugo Leal saía para o At. Madrid. E se desta vez a polémica não foi à volta de fruta de qualidade duvidosa, o, à altura, presidente do Benfica não poupou o antigo prodígio, chamando-o, se bem me lembro, "palhaço". Após acompanhar o clube madrileno na descida de divisão, o médio decidiu-se pela capital francesa e assinou pelo PSG. Aqui ainda conquistou uma Taça de França, mas vendo que progressivamente era cada vez menos utilizado, decidiu voltar a Portugal e ao FC Porto. Desde aqui, Hugo Leal, no futebol, resume-se a uma série de mudanças de emblemas (Académica, Sp. Braga, Belenenses, Trofense) que, a ver vamos, acabou, neste defeso, com a sua transferência do Salamanca para o Vit. Setúbal. Com 30 anos já não deverá ter muitas mais oportunidades de mostrar porque nele tanto se apostou. Aquilo que já conseguiu provar este ano, é que marcar um penalty na "Luz" causa um nervoso tal que o fez falhar perante Roberto.

47 - SILVA

O próximo "cromo" é para mim, devido à pouca informação existente, um quase incógnito. Deste Weliander Silva Nascimento, reforço do Vit. Setúbal para a presente época, sei aquilo que a maioria saberá: que veio do Duque de Caxias e que joga a trinco. Bem, talvez saiba apenas um bocadinho mais. Assim, terá chegado em 2007 ao Duque de Caxias, cedido por empréstimo, do Vasco da Gama, onde já tinha jogado dois anos como sénior, depois de aí ter também feito as suas ultimas temporadas na formação. Sei igualmente que, para já, tem merecido a confiança de Manuel Fernandes no escalonamento do meio campo sadino... o que não deixa de ser um bom indicador!

46 - JÚLIO CÉSAR

Não deve de certeza a alcunha à ampla distribuição geográfica que a sua carreira atingiu. Então, porquê "O Imperador"? É um facto que os primeiros anos como profissional, prometiam a este defesa central o domínio das "áreas". Veja-se a sua contratação pelo Valladolid, aos hondurenhos do C.D. Marathón, quando contava apenas 17 anos, fazendo, nas três épocas que se seguiram, 60 jogos na 1ª divisão espanhola. Mas, por vezes, a passada é maior que a perna, e a contratação, em 1999, pelo Real Madrid, surtiu num fracasso tal, que nem os empréstimos ao Milan, Real Sociedad e Benfica, serviram para que Júlio César pudesse recuperar o prestígio que até aí tinha conseguido atingir. Começa aqui uma verdadeira epopeia futebolistica, que levaria este brasileiro, nunca por mais de uma ou duas temporadas, a percorrer campeonatos como os da Austria (Austria de Viena); Inglaterra (Bolton); México (Tigres); Grécia (Olympiakos); Roménia (Dinamo Bucaresti) e Turquia (Gaziantepspor). Voltou este ano a Portugal para representar o Marítimo e conseguiu começar mal aquilo que poderia ser encarado como uma derradeira oportunidade, chegando atrasado a um treino, quando ainda nem sequer conquistou uma chance para se estrear.

45 - ELDERSON ECHIÉJILÉ

Terá sido maneira de sublinhar o começo de um novo ciclo na sua carreira, quando, ainda mal se tinha instalado, disse que, a partir de agora, queria ser tratado por Elderson. Ficaremos sem saber o real porquê desta mudança, mas temos todos que agradecer a troca, pois em Echiéjilé há, e já não é caso único (ver cromo nº 10) um quê de, digamos, exotismo a mais!!! Desde muito cedo demonstrou que, junto com uma portenta disponibilidade física, vinha também uma habilidade bem acima da média. Tudo isto despertou a curiosidade do Rennes, que o foi buscar ao Bendel Insurance, onde actuava, na equipa principal, desde os 16 anos. Assim com apenas 19, viu-se a jogar na primeira divisão de um dos principais campeonatos europeus, o francês. Mas, apesar de tudo o que prometia, e que acabava por concretizar aquando das chamadas à selecção do seu país, a Nigéria, no Rennes, nunca viria a ser primeira escolha, jogando, em 3 anos, apenas 19 jogos para o campeonato. Transferiu-se este ano, após ter jogado a fase final do Mundial na África do Sul, para o SP Braga e, até ao momento, tem acompanhado a boa carreira dos "Arsenalistas", merecendo a confiança do treinador Domingos Paciência, para ocupar o lado esquerdo da defesa.

44 - ARTUR MORAES

Quando se ouviu dizer que da AS Roma vinha um Guarda-Redes, automaticamente, pensei que estaria encontrado o titular para a baliza do SP Braga. Até ver não tem sido essa a realidade, mas isto não deve servir, de modo algum, para apontar falta de qualidades ao jogador. Bem, pelo menos, a acreditar que a sua contratação, em 2008, pelo Siena (que o emprestou ao Cesena) e a posterior transferência para o clube da capital italiana, não tenham sido feitas de forma leviana! Aferindo a qualidade de Artur Moraes temos como exemplo diversas épocas como titular: primeiro, ainda no Brasil, ao serviço de Cruzeriro e Coritiba; e já em Itália, na Roma, em 2009, tornou-se a primeira escolha após a lesão que afastou Doni da titularidade. Desde aí, a sua presença tem sido menos notada, tendo voltado, o ano passado, a ser uma das escolhas secundárias para a guarda das balizas da AS Roma e tendo sido, esta pré-época, excluído dos planos do treinador Claudio Ranieri. Servirá em Braga, por certo, para aumentar a competitividade de um clube que este ano já consegui a proeza de estar na fase de grupos da "Champions".

43 - OTAMENDI

Vindo do Vélez Sársfield, onde ganhou o Torneio de Clausura de 2009, chegou ao Dragão com a difícil missão de substituir Bruno Alves. E se olharmos apenas para o seu historial teremos algumas dificuldades em acreditar que este jovem central seja capaz de cumprir tamanha demanda. A verdade é que em apenas dois anos como sénior, Otamendi conseguiu singrar de forma espantosa, tornando-se num dos esteios da defesa da sua antiga equipa e presença habitual nas convocatórias da seleccção argentina. A prova da qualidade deste jogador, para além da chamada ao Mundial da África do Sul, onde foi titular, é que conseguiu ser convocado a representar o seu país quando apenas contava com 11 jogos como profissional. Só mais uma curiosidade: apesar de ser central de raiz, Otamendi jogou, no último campeonato mundial, sempre a defesa lateral direito.

42 - MANICHE

Não digo que seja mera coincidência, mas outro dos protagonistas das "transferências Costinha" é este nosso ex-Internacional. E se a amizade entre os dois é conhecida, a atitude deste médio também o é, o que faz dele, apesar dos seus 32 anos, e numa altura que falta raça para os lados de Alvalade, uma das mais válidas contratações do Sporting. Maniche, formado pelo Benfica, começou a sua carreira de sénior, alternado entre a "casa-mãe" e o "satélite" Alverca. E apesar de, já na altura, as suas qualidades não enganarem ninguém, surpreendentemente, viu-se dado como proscrito sob a acusação de umas supostas falhas comportamentais. Consta que o problema não seria tanto de falta de disciplina, mas sim de erradas opções empresariais! Neste ostracismo, viu Mourinho oportunidade de contratar um jogador que, no meio-campo do FC Porto, veio a afirmar-se como uma das pedras basilares das conquistas da UEFA (2003) e da "Champions" (2004). Mas o que faz um jogador como Maniche, que representou os melhores clubes da Europa (Inter, Chelsea, Dinamo Moscovo, Atl. Madrid, Koln) e que tudo já ganhou, vir representar um emblema que atravessa um tão sinuoso caminho? Alguns poderão dizer que já ninguém o queria, mas, segundo o próprio, foi uma questão de coração... e o mais engraçado é ouvir um jogador que herdou o nome de um dos míticos da Luz, Michael Manniche, a dizer-se do Sporting desde pequeno!!!

41 - JAIME VALDÉS

A chegada de Costinha ao Sporting levou dali alguns jogadores e trouxe outros que, numa ou outra altura da sua vida, partilharam com ele os balneários das equipas por onde passou. A este médio chileno conheceu-o na derradeira etapa da sua carreira, no Atalanta. Valdés, internacional chileno, como grande promessa do futebol sul-americano que foi, cedo despertou a cobiça dos clubes europeus. Assim, ainda bem novo, saiu do Palestino, e emigrou para a série A de Itália, onde se estreou com apenas 19 anos, em Outubro de 2000, pelo Bari. Quatro anos de boas exibições, entre subidas e descidas do seu clube, chegaram para que a Fiorentina nele reparasse. Contudo, passado um ano na equipa de Florença, onde pouco jogou, viu-se envolvido no negócio da transferência de Valeri Bojinov e rumou ao Lecce. Depois de 3 anos neste emblema e mais 2 no Atalanta, chegou por fim a Alvalade. Apesar de já não estar na flor da idade (29 anos), Jaime Valdés, pelo que nos foi dado a ver, continua a mostrar qualidades que farão dele um dos principais candidatos a ocupar um lugar na meia esquerda leonina.

40 - JOÃO MOUTINHO

Se comecei por falar em polémicas paixões, tinha que, obrigatoriamente, em primeiro lugar aparecer João Moutinho. Nada de espantoso tem que um bom jogador se transfira para o "Dragão". Nada, se este não viesse de um dos seus grandes rivais... bem, e talvez até isso não seja o suficiente, mas a verdade é que expressões como "Maçã Podre", fizeram desta contratação do FC Porto, a mais badalada do Verão. Já havia algum tempo, e não era segredo nenhum, que o agora ex-capitão do Sporting, se sentia "desconfortável" com a camisola que o formou. Daí à ida para a cidade do Porto é que, quase, ninguém adivinharia. Digo quase porque, pareceu-me a mim, que o senhor que saiu como apaziguador desta contenda, tenha tido um pouco mais de peso no meio disto tudo. É, o Sr. Pinto da Costa apareceu em cena, como se não tivesse despoletado toda esta embrulhada, nem sequer lhe tivesse passado pela cabeça tal coisa. Assim, a história acabou com os ruins da fita a serem aqueles que, em Alvalade, para além de nunca escutarem os anseios dos rapazes, ainda andaram a enxovalhar o outro personagem mau, o agora ingrato traidor. Típico!!!

REFORÇOS 2010

Com o fecho do mercado das transferências, abriu-se a oportunidade para apresentar algumas das contratações feitas pelos nossos clubes profissionais. Não são tão faustosas como as de outras ligas, contudo, não deixam, de suscitar iguais polémicas paixões. Por isso, e porque no "cromo sem caderneta" só se especulam as certezas, dedico agora, neste mês de Setembro, a minha atenção ao curioso esmiuçar dos, uns bem mais do que outros, reforços.