149 - BENFICA 2010/11


Quando no início da temporada se ouviu, tanto por parte do presidente Luís Filipe Vieira como do treinador Jorge Jesus, a certeza de tantas conquistas, o mínimo que se esperava era que o Benfica conseguisse alcançar, pelo menos, os mesmos troféus que, na temporada transacta, tinha trazido para o museu da "Luz". O pior é que nada foi como o prometido!!! Começou logo pela Supertaça, onde as "Águias", num ritmo desadequado a quem almeja vitórias, viram-se batidas por um "Dragão" que ainda só andava a meio gás. De seguida, vieram as quatro primeiras jornadas que, com três derrotas e 9 pontos perdidos, praticamente entregaram a Liga a outros!!!No entanto, depois de um encetar desesperante e apesar de não conseguir exibições tão arrebatadoras quanto as do ano anterior, o Benfica até entrou no bom caminho. Está bem que a Liga dos Campeões não tinha corrido de feição e mesmo a continuidade nas provas europeias (repescagem para a Liga Europa) só tinha sido conseguida nos últimos instantes e por razão de terceiros. Mas o que parecia agora interessar é que, internamente, começavam a surgir bons resultados e uma longa série de vitórias devolvia alguma esperança de que, com alguns deslizes do FC Porto, ainda fosse possível revalidar o campeonato. Contudo o avançar da prova foi habituando os benfiquistas à ideia de que tal não viria a acontecer. Resignados, começaram a depositar a sua crença nas outras provas, onde o 0-2 da primeira mão das meias-finais, no Estádio do Dragão, punha o Benfica com um pé na final da Taça de Portugal. O pior é que, aquilo que parecia uma prova da mudança de rumo, acabaria por ser o canto do cisne!!! Apartir desse 2 de Fevereiro a forma dos jogadores começou progressivamente a aproximar-se daquilo que tinham mostrado no principio da época. As vitórias, que continuaram por algum tempo, e a progressão na Liga Europa, iam ajudando ao disfarce daquilo que era uma evidente deterioração do nível exibicional da equipa. Tal como um castelo de cartas tudo ameaçava desmoronar-se e ainda não refeitos de terem cedido o titulo de campeões nacionais, em pleno Estádio "da Luz", o Benfica, novamente em casa, viria a seu intuito de chegar ao Jamor, desfeito, depois de consentir, com uma derrota por 1-3, a reviravolta na eliminatória da Taça. A juntar a isto, só faltava agora não conseguirem o derradeiro objectivo de atingir a final da Liga Europa, em Dublin. Claro que não foi preciso esperar muito e o afastamento deu-se frente ao Sp.Braga, na Cidade dos Arcebispos, mais uma vez na meias-finais e mais uma vez depois de levarem vantagem na primeira mão!!! Acabariam a temporada com apenas a conquista da Taça da Liga que, numa maneira disparatada de abafar toda a desilusão, exaltaram como o "tri" naquela competição.
A verdade é que para muitos, contando 106 dos nossos leitores, este até deve ter sido um ano bem proveitoso para a equipa lisboeta! Contrariando aquilo que os 4 títulos do FC Porto poderiam fazer prever, o Benfica, na sequência da eleição dos nossos Cromos d'Ouro, acabou considerada como a melhor equipa de toda a temporada em Portugal!!! Que mais, em jeito de conclusão, podemos dizer?!!! O Benfica ganhou... assim ditou o povo!!!!

148 - FALCAO

Ao vermos jogar Falcao, bastará um pouco de atenção para que consigamos concluir que o seu exímio tempo de salto e um sentido posicional quase perfeito, são nele ferramentas preciosas, verdadeiras armas!!! É com elas que o jogador colombiano, que nem prima por uma grande estatura, consegue, sem esboçar grande esforço, ganhar nas áreas adversárias, tantos e tantos lances aéreos. Claro que a sua qualidade é bem mais substantiva do que isso. Assim, é também na ampla percepção que tem de como todo o jogo se desenrola, na maneira esquiva e extremamente veloz como ataca os lances e, ainda, na valentia que emprega quando se imiscui entre os centrais adversários, que fazem de Falcao um dos melhores atacantes a actuar, não só por terras lusas, como em toda a Europa!!!
Contudo, poderão dizer os mais cépticos que, finda a sua segunda temporada em Portugal, há no entanto algo que lhe falta para se afirmar como um grande ponta-de-lança - atingir, no nosso campeonato, o lugar cimeiro na lista de melhores marcadores!!! O facto é que nem esta análise, a roçar o ridículo, consegue beliscar a imagem que já temos do avançado sul-americano. E se dúvidas se levantassem, bastaria olharmos para o seu desempenho na Liga Europa do ano transacto, onde Falcao, com os seus 18 golos, 7 acima do seu mais directo rival, Rossi dos espanhóis do Villareal, conseguiu, em simultâneo, conquistar o titulo de goleador em 2010/11 e quebrar o recorde de melhor marcador de sempre da dita prova europeia, a antiga Taça UEFA.

147 - HULK

Apesar da alusão à cor verde, que o seu nome pode sugerir, Hulk é super-herói de azul e branco. Esta temporada, mais do que nunca, deu, ao extremo brasileiro, a oportunidade de provar o quão preponderante é para a manobra ofensiva da equipa do FC Porto. Não estamos apenas a falar dos 23 golos que concretizou durante o campeonato e que lhe permitiu atingir o primeiro lugar na lista dos melhores marcadores em Portugal. Claro que essa sua veia goleadora foi muito importante nas conquistas da época passada, mas aquilo que o tornou realmente numa peça fulcral de toda a máquina portista, foi a sua capacidade de construir situações de afronta para as balizas adversárias. Hulk, com todo o seu poder físico, e contrariando aquilo que o seu aspecto corpulento poderia fazer adivinhar, é um jogador extremamente ligeiro. O seu drible em velocidade é um quebra-cabeças para qualquer oponente. Resultado disso, corre ao longo dos flancos, por onde facilmente consegue ultrapassar até os defesas mais rápidos. Depois, com uma noção de posicionamento e uma qualidade de passe excepcionais, assiste primorosamente os seus colegas de ataque, que não têm mais do que encostar a bola nas redes. Foi assim em praticamente todas as partidas do campeonato. Mas se não existissem mais provas disso, bem poderíamos pôr a depor David Luiz que, no clássico do Estádio do Dragão, entre Benfica e FC Porto, acabou ridicularizado e ao nível de um qualquer ordinário jogador.
Com todo este peso, não foi de estranhar que Pinto da Costa, ainda há uns dias, afirmasse publicamente que o único jogador insubstituível em todo o plantel, era ele. Por isso também, não se admirem os que ao tentarem levar Hulk para longe da cidade do Porto, lhes seja exigido todo dinheiro da clausula de rescisão... apenas e só, uns míseros 100 milhões de euros!!!

146 - JOÃO MOUTINHO

Afinal, parece que a tal "Maçã Podre", que ameaçava espalhar a todo o "pomar do Leão" a sua maleita, continua a ser um fruto bem sumarento!!!
Quem pôde acompanhar as partidas do FC Porto, de certo reparou num tal rapaz de aspecto franzino, que, durante toda esta temporada, acabou por ocupar um dos lugares no meio-campo da equipa nortenha. Foi tal a naturalidade com que se apresentou, que dificilmente alguém apostaria, nesse mesmo jogador, como um dos estreantes de "azul e branco"!!! É verdade, João Moutinho em nada mostrou estar afectado pela mudança de clube, nem mesmo sabendo que essa sua troca se tinha pautado como uma das mais polémicas do Verão passado!!! Com razão dirão vocês, que uma transferência de Alvalade para o Dragão nunca passará despercebida, mas esta, tratando-se da do antigo capitão leonino, poderia fazer adivinhar neste alguma instabilidade. De todo!!! João Moutinho acabaria por manter, com níveis bem elevados, todos os índices que sempre foram a sua marca no Sporting. Foi assim, pela sua humilde vontade de se sacrificar, aliada a uma capacidade excepcional para comandar o jogo ofensivo da sua equipa, que, rapidamente, fizeram dele uma das pedras basilares da estratégia de André Villas-Boas. Foi ele o principal responsável, o "motor", de todas as vitórias portistas do ano; importante ao ponto de, com a saída do treinador para o Chelsea, se temer que ele siga os seus passos, impossibilitando, aquilo que é o querer de todos os adeptos do FC Porto, o repetir dos sucessos conseguidos na época que ainda há pouco terminou!!!!

145 - LUISÃO

Tão grande é a diferença entre o defesa central que em 2003 chegou do Cruzeiro de Belo Horizonte e aquele que a época passada povoou o meio da área do Benfica, que não seria difícil duvidarmos tratar-se da mesma pessoa!!! Já nada resta daquele jogador de hábito "molengão", cuja constância de imperdoáveis falhas fizeram sobre ele pairar grande incerteza. Luisão, tornou-se num símbolo de combatividade; misturou essa capacidade com um sentido de colocação e um poder de corte irrepreensíveis; apimentou as suas exibições com um jogo aéreo que, para além de conseguir os mais decisivos golos, arrasa, consecutivamente, os intentos ofensivos de qualquer adversário. Em suma, Luisão tem hoje aquilo que se exige a um defesa, fiabilidade. É essa confiança transmitida em campo que o põe no lugar de timoneiro... um daqueles capitães que tem na braçadeira apenas um adorno. O seu verdadeiro galão é a voz, essa maneira como comanda os seus colegas, encorajando-os, fazendo-lhes saber que naquele relvado que partilham ninguém os levará à derrotará sem luta, dando-lhes o vislumbre das vitórias e, principalmente, amparando-os nas suas quedas. Desportivamente, tem sido também um dos baluartes da "Luz". Foi-o nas conquistas dos campeonatos de 2004/05 e 2009/10, como na desilusão da transacta temporada, onde, reconhecidamente, evitou males maiores para a sua equipa.
Agora, ao fim de 8 temporadas vestindo o vermelho das "Águias", com a saída de Nuno Gomes e, até, de Moreira, é ele o derradeiro guardião da "mística" benfiquista. Pelo seu regresso da Copa América, aguardam companheiros e adeptos, pois, à beira de nova época, num dos primeiros defesos em que, finalmente, nem da imprensa, nem dele (naquilo que tem sido um dos seus únicos pecados) tem vindo a ser especulada uma saída, todos esperam que consiga guiar o regresso do Benfica ao caminho das disputas e, porque não, ao das vitórias!!!

144 - FÁBIO COENTRÃO

"Un bólido por la izquierda" - anunciava assim, o periódico desportivo espanhol "Marca", a contratação do novo reforço do Real Madrid. No entanto, a verdade é que nem sempre foi tido como tal e a sua qualidade, ainda há um par de anos atrás, chegou mesmo a ser posta em causa. Com razão, muitos desconfiaram que o jovem jogador, que o Benfica tinha ido contratar ao Rio Ave, afinal não valia metade daquilo que projectara. Na "Luz", pouco se mostrava o tal extremo explosivo que desde os 16 anos, por via dos seus "dribbles" e velozes arrancadas, tinha ganho lugar no balneário sénior da equipa vilacondense. O mais incrível é que, meses antes, essa mesma promessa, tinha sido chamada por José Mourinho, para se treinar à experiência no Chelsea. Por onde andava agora???!! Ninguém sabia!!! Seguiram-se vários empréstimos - Nacional, Zaragoza e Rio Ave - até que Jorge Jesus, na época que estreava ao comando da "Águia", decide recuá-lo no campo, passando Fábio Coentrão para defesa esquerdo. Era notório, as suas exibições melhoravam a cada partida, mas a questão impunha-se: teria sido esta mudança a única razão para tal "volte face"??? Muitos, por certo, não terão dado grande importância a uma entrevista que o jogador tinha dado a um jornal desportivo. Nela, Fábio Coentrão, fazia "mea culpa", por todos os desaires na sua carreira, pondo mesmo em causa se não teria deitado tudo a perder. A tomada de consciência de que era essa sua postura a principal causa para o seu insucesso, foi, para mim, decisiva, para que logo nessa época de 2009/10, se consagrasse, por um lado, como um dos principais esteios da vitória benfiquista no Campeonato Nacional, e por outro, como um dos melhores no Mundial da África do Sul.
O prémio consegue-o agora após um ano fraco em títulos, mas com exibições tão ou mais conseguidas que a temporada transacta. Vai para Madrid, resultado de uma das transferências mais caras do futebol português, igualando os 30 milhões de euros de Ricardo Carvalho (para o Chelsea) e de Pepe. Volta a encontrar Mourinho, mas desta vez, depois de em Londres não o ter conseguido convencer, para tomar de assalto o onze "Merengue".

143 - RUI PATRÍCIO

Muita controvérsia trouxe Paulo Bento quando arriscou e, teimosamente, decidiu manter à frente das balizas do Sporting, o acabado de sair dos juniores, Rui Patrício. A inexperiência dos 18 anos não favorecia as suas exibições e houve aqueles, incluindo eu, que disseram que toda aquela pressão não lhe fazia nada bem e, talvez, pusesse em perigo a justa progressão daquele que até era uma das boas promessas leoninas. Durante os primeiros anos, muitos foram os falhanços e de vez em quando, mais do que o suposto, lá entrava outro "franguito"!!! O que terá o jovem guarda-redes ganho ou perdido com esta escolha, dificilmente será mensurável. Quanto ao Sporting, a aposta facilmente se traduz naquelas jogadas menos conseguidas e nos pontos que nelas ficaram perdidos. Mas a verdade é que, não por falta de opções válidas, Rui Patrício foi-se mantendo. Com certeza, reflexo de ser bem apoiado por todos os treinadores, Paulo Bento, como já referido, e depois por todos aqueles que se seguiram, Carvalhal, Paulo Sérgio e Couceiro, no guardião não se viam grandes sinais de esmorecimento e a sua vontade em querer vingar parecia manter-se intacta. Claro, para que este estado espírito fosse uma constante muito contribuiu, sem dúvida alguma, a dita titularidade, esse sim o derradeiro voto de confiança. Mas uma coisa é certa, esta sua 5ª temporada trouxe-nos um jogador muito diferente. Resultado de uma evolução notável, Rui Patrício, ainda dentro de uma margem de manobra inerente a qualquer um que jogue na sua posição, mostrou-se como uma das certezas do nosso campeonato. E se a sua presença com a camisola do "leão" era já uma constante, onde também se consolidou foi nas convocatórias para a selecção A, onde já conta com algumas internacionalizações. Por isso, não foi de estranhar quando, neste defeso, se começou a ouvir especulações quanto à sua transferência para clubes como o Manchester Utd!!!

142 - PATACAS

Feita a formação no Sporting e tendo terminado a mesma numa altura em que o clube de Alvalade, à imagem de alguns emblemas da altura, tinha uma equipa satélite, a coisa mais normal para Patacas era que, nos primeiros anos de sénior, alternasse entres o verde e branco do Sporting e o do Lourinhanense. Assim foi, e apesar de grande parte do seu tempo o passar na equipa do Oeste português, de vez em quando, lá era chamado à "casa mãe" para "dar uma perninha". Sob o comando de Carlos Manuel, acabaria por disputar o seu primeiro encontro pelos "leões", corria a época de 97/98. A estreia, com lugar no onze titular, até poderia ter sido bem auspiciosa, não fosse uma tal derrota, por 3-2, imposta em Chaves pelo desportivo local. Mau agoiro ou não, a verdade é que poucas mais foram as vezes o defesa direito teve oportunidade de jogar pela equipa principal leonina. Assim, depois de mais uns anos de empréstimos, durante os quais passou pelos açorianos do Santa Clara e pelo Campomaiorense, a sua ligação contratual terminava e o Sporting decidia não apostar mais nele. Quem agarrou a oportunidade de ver do seu lado um jogador que, nas suas 29 internacionalizações S-21, até ganhara algum traquejo, foi o Nacional. Nos Insulares, a sua carreira mudaria e o lateral a quem parecia nunca faltar pulmão nem vontade para mais uma corrida, finalmente começava a ser visto como um dos melhores e mais preponderantes no seu flanco. Das 13 temporadas na divisão maior do nosso campeonato, 9 passaria-as ao serviço dos madeirenses. Mas este ano chegou ao fim a vida nos relvados do capitão "Alvi-Negro" e segundo o mesmo, "Terminar a carreira agora foi a melhor decisão". Patacas "pendurou" de vez as botas e aceitou novo desafio... é director-desportivo do Nacional.

CROMOS d'OURO 2011

Com o fim da temporada, nada mais seria normal do que o "Cromo Sem Caderneta" dar a palavra aos seus leitores. O desafio foi lançado, as nomeações, num processo de isenção exemplar, foram apresentadas e muitos responderam, votando naqueles que consideraram ter as melhores prestações durante a época transacta. Apresentamos, neste mês de Julho, o resultado dessa escolha. Para isso, abrimos (no topo desta página) nova rubrica e revelámos ao Mundo aqueles que já são aclamados como os "Óscares" do futebol português... não se esqueçam de nos visitar e connosco venerar os "Cromos d'Ouro 2011"!!!!